Engolir sapo engorda

19/04/2017
Coaching
Heloísa Mota


Engolir sapo engorda

Já há um certo consenso no meio científico de que os sentimentos experimentados por nós tem enorme poder sobre nosso estado físico e mental. Há muitas doenças que são associadas a nossos sentimentos e também há inúmeros casos de cura que são atribuídos a um posicionamento otimista e positivo.

O que pouca gente sabe é que o excesso de peso pode estar ligado ao acúmulo de sentimentos negativos guardados. É o famoso “engolir sapo”. Por isso, leia nosso post e entenda como isso é possível.

Estresse, irritação, angústia e ansiedade. Atualmente é difícil ouvir uma pessoa que não experimente com frequência pelo menos um desses sentimentos. Coincidentemente, também é cada vez mais crescente o número de pessoas que desejam emagrecer, e embora tenhamos cada vez mais informações a respeito de alimentação e exercícios, o número de pessoas com excesso de peso está cada vez maior.

Há casos de pessoas que simplesmente usam a comida como uma válvula de escape para seus problemas, porém, há aqueles que, embora não tenham mudado o tipo de dieta, aumentaram o peso significativamente, e normalmente, esse aumento se dá quando há alguma mudança de emprego ou outras coisas capazes de gerar um aumento significativo dos níveis de estresse.

Falando somente da parte endócrina, estados emocionais muito alterados devido ao estresse aumentam a produção de um hormônio chamado cortisol. Quando em excesso, esse hormônio causa problemas como: diminuição de massa magra, aumento de gordura corporal, diminuição da libido, aumento de oleosidade na pele.

Só esse fator já é suficiente para causar um “estrago”, mas qualquer sentimento desagradável, quando acumulado continuamente causa efeitos negativos no seu corpo e mesmo que aparentemente você não esteja com nenhum problema hormonal, é possível que você ganhe peso ou tenha muita dificuldade de emagrecer, pois a metabolização dos alimentos também pode ser melhor ou pior dependendo do seu estado emocional.

Alguns especialistas em comportamento humano observaram que a obesidade pode estar diretamente relacionada com dificuldades emocionais, pois a canalização de emoções negativas através dos alimentos gera uma proteção automática do mundo por intermédio da gordura ao redor do seu corpo.

É obvio que, conscientemente você não deseja engordar, mas se sua visão das coisas que te cercam for constantemente negativa, seu cérebro entende que o excesso de gordura irá te proporcionar maior segurança.

Portanto, se você quer emagrecer de maneira saudável e permanente, além de melhorar os hábitos de vida é importante que você também solucione alguns conflitos. É essencial que situações que te geram estresse sejam resolvidas, sempre através de uma comunicação não agressiva (por mais algo te irrite). Externe sempre os seus sentimentos, pois isso ajuda em diversos aspectos, inclusive emagrecimento.

Se você detesta seu trabalho, pense em alternativas para um novo emprego ou mudança de setor. Se o problema for algo pessoal, estipule um prazo para resolver a questão. De qualquer maneira, se nada disso for viável para você, seja otimista e comece a encontrar um lado positivo em tudo o que você está vivendo. Deixe de reclamar e de dar tanta ênfase para o que está ruim. Assim, é bem provável que mesmo sem entender o porquê, você já sinta mudanças positivas acontecendo.

Por último, pare de se auto criticar e de se colocar para baixo. Você tem muitos pontos fortes e se você parar de focar em só perder peso e começar a colocar em ação coisas que podem melhorar sua qualidade de vida, é bem provável que você emagreça muito mais facilmente, às vezes até sem perceber.

Para resumir, as dicas que te dou são as seguintes:

– Seja menos exigente e mais afetuoso consigo mesmo.

 – Pare de engolir sapos e comece a resolver os problemas que geraram o excesso de peso.

– Não foque na consequência (que é o excesso de peso). Olhe para a causa e resolva o que tem que ser resolvido.

Gostou do post? Então deixe seu comentário e curta nossa página no Facebook.

0 Comentário

Os comentários estão fechados.

Sobre

Graduada em Educação Física pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas), na área da saúde e...